Adicionar a Favoritos

Texto assinado não reflete necessariamente a opinião do site,  cabendo exclusivamente ao autor as responsabilidades e consequências dele decorrentes.

AQUA.ENG.BR - Ano 17 - Hoje é 

        ARTIGO TÉCNICOS   COMENTÁRIOS  CONTATOS  EDITORIAIS  E-MAIL  ENTREVISTAS  EVENTOS  FOTOS  FRASES  HIDROMETRIA  HUMOR  NOTÍCIAS OPINIÃO PUBLICAÇÕES QUEM SOMOS       

AquaMail

Artigos técnicos

Comentários

Contatos

Editoriais

E-mail

Entrevistas

Eventos

Fotos

Frases

Hidrometria

Humor

Notícias

Opinião

Publicações

Quem somos

NOTÍCIA

Publicada em 17.01.2017

Mancha no Guaíba não afeta abastecimento de água em Porto Alegre

A turbidez, causada por partículas em suspensão, tais como areia, argila e matéria orgânica, oriunda do evento climático extremo ocorrido no município de Rolante (RS), passa pelo Lago Guaíba com menor intensidade. O DMAE (Departamento Municipal de Água e Esgotos) acompanha a movimentação da mancha que desceu pela bacia do Rio dos Sinos, gerou impactos nas captações de água para consumo na Região Metropolitana, chegou à capital gaúcha e se dirige para a Lagoa dos Patos.

Apesar de visível no Lago Guaíba, a mancha sofreu diluição e dispersão pelas vazões dos demais formadores, os rios Jacuí, Caí e Gravataí, e não comprometeu a qualidade da água distribuída à população de Porto Alegre.

Os valores de turbidez medidos pelo DMAE nas captações de água bruta não ultrapassaram 200 NTU (Unidade Nefelométrica de Turbidez), o que representa menos de 10% dos valores encontrados na bacia do Rio dos Sinos, conforme registros nos Sistemas de Abastecimento de Água da Região Metropolitana. Tais valores são similares aos constados pelo DMAE no inverno, quando a ocorrência de chuvas é maior.

Informa o DMAE que segue monitorando a dispersão do material gerador da mancha, mantendo as ETAs (Estações de Tratamento de Água) em operação durante as 24 horas do dia.

A Autarquia informa ainda que segue produzindo e distribuindo água dentro dos padrões de potabilidade definidos pelo Ministério da Saúde.

Fonte: DMAE de Porto Alegre

___________________________

 

Publicada em 05.01.2017

Iniciado último ano de prazo para exigência do Plano Municipal de Saneamento Básico

Novo limite vai até 31 de dezembro de 2017

A Lei do Saneamento Básico (11.445/2007), tornou obrigatória a elaboração da Política e do Plano de Saneamento Básico, determinando que os municípios façam individualmente o PMSB (Plano Municipal de Saneamento Básico).

O novo prazo dado aos municípios, que são os titulares do saneamento básico em seus territórios, prorroga a condição para acesso a recursos da União. Em 2018, os financiamentos federais para o saneamento básico terão como condição a elaboração do PMSB. Leia notícia completa.

 

 

 

Dólar e euro hoje:

   

Publicações

Água, Micromedição e Perdas

Antônio Linus Rech

Medição de Água - Estratégias e Experimentações

Bonato, Nielsen

e Sachet.

NOTÍCIAS

Águas do Rio Uruguai contém veneno.

Aquífero Guarani ameaçado de contaminação via poços.

Em 2004 já se falava no assunto: Antártida descongela-se e eleva nível dos mares.

Energia nuclear é a solução para acabar com o efeito estufa

BOA LEITURA

 

A galinha dos ovos de ouro

A fome e a falta de água no mundo são a bola da vez. A ONU (Organização das Nações Unidas) tem alertado através dos seus cientistas que a população pobre será a mais afetada pela falta de alimentos. O efeito estufa seria a causa desse problema que já não é novidade, pois desde que o mundo é mundo a fome acompanha o homem. E tem escolhido o pobre como vítima, pois ele é  sempre o mais atingido pelos males ao longo da história, seja lá a causa que for. COMPLETO

linha de espaço

O Concorrente

Copirraite 2000 © 2017, AQUA.ENG.BR - Todos os direitos reservados.